Pesquisar este blog

Tradutor

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

O hábito de se sentir ofendido




As pessoas passam a maior parte da vida sentindo-se ofendidas pelo o que alguém fez com elas.

Mas será que alguém realmente tem o poder de nos ofender? 

É a expectativa que criamos em relação  às pessoas que nos machucam. E essas expectativas são criadas por nossos pensamentos. Esses pensamentos não são reais. Eles são imaginários. 

Se você esperava que seus pais lhe dessem mais amor e eles não lhe deram, não se ofenda. Foram apenas as suas expectativas violadas, sobre o que um pai ideal deveria ter feito para você.Suas ideias são o que o machucam. 

Se você esperava que seu parceiro(a) reagisse desta ou daquela maneira e ele não corresponde, é justamente a diferença entre as atenções que você esperava que ele tivesse com você e as que ele realmente teve, que te machucam. Novamente, isso está em suas expectativas, no campo da imaginação. 

Zangado com Deus? São as suas crenças sobre o que Deus deveria fazer que o magoam. Deus nunca ofende ou machuca ninguém.

O hábito de se sentir ofendido pelo que os outros fazem a você (ninguém realmente faz nada a você) desaparecerá quando você compreender melhor a origem das “ofensas”. 

Quando nascemos, somos autênticos, mas nossa verdadeira natureza é suprimida e substituída artificialmente por conceitos que nossos pais, a sociedade e a televisão nos ensinam. E eles criam um falso romance de como as coisas deveriam ser em todos os aspectos de sua vida e como os outros deveriam agir. Uma das maiores fontes de ofensa é tentar impor o ponto de vista de uma pessoa a outra e orientar sua vida. Quando você diz a ele o que fazer e ele diz "não", você cria ressentimento duas vezes. Primeiro, você se sente ofendido porque ele não fez o que você queria. Em segundo lugar, a outra pessoa está ofendida porque você não a aceitou como ela é. E é um círculo vicioso. 

Todas as pessoas têm o direito divino de guiar suas vidas como quiserem e assim todos nós temos as oportunidades de aprendermos com os nossos próprios acertos e erros. 

Por Sabino Rodrigues
Imagem: Pinterest 

quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

Se soubéssemos desde cedo…


Se soubéssemos desde cedo o quanto a nossa inabilidade pode ferir, as dores que nossas palavras descuidadas podem provocar, os malefícios que nossas omissões podem causar, talvez tivéssemos mais atenção amorosa ao nos aproximarmos de cada vida. Mas, na maioria das vezes, só passamos a compreender verdadeiramente isso quando a indelicadeza nos atinge, quando é nossa a existência machucada, quando é o nosso coração que é ferido. Parece que quando não sabemos nos colocar no lugar do outro, a vida arruma um jeito e nos ensina.

Ana Jácomo🍃
Imagem: Pinterest 

domingo, 9 de janeiro de 2022

Não é tão simples viver a vida.


“Não é tão simples viver a vida. Às vezes, ela contém capítulos imprevisíveis e inevitáveis. Todo ser humano passa por turbulências em sua vida. A alguns falta o pão na mesa; a outros, a alegria na alma. Uns lutam para sobreviver. Outros são ricos e abastados, mas mendigam o pão da tranqüilidade e da felicidade. Por isso há miseráveis que moram em palácios e ricos que moram em casebres. 

A vida é belíssima, mas não é tão simples vivê-la. Às vezes, ela se parece com um imenso jardim. De repente, a paisagem muda e ela se apresenta árida como um deserto ou íngreme como as montanhas. Independentemente dos penhascos que temos de escalar, cada ser humano possui uma força incrível. E muitos desconhecem que a possuem”.

Augusto Cury🍃

segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

Tenha o outro como seu espelho…



Se o seu relacionamento está complicado, pensando Se o seu relacionamento está complicado, pensando em separação, a pergunta não deve ser "como faço para sair disso" e sim "quem em mim precisa estar preso nisso? "

As dificuldades estão aí pedindo o seu amadurecimento.

Ao contrário do que muitos pensam, relacionamento de casal é, antes, um espelhamento do relacionamento consigo mesmo.

Muitos esbravejam contra o outro, reclamam, se fazem de vítima, quando, na realidade, a maior dificuldade está em si.

Perceber onde estão as crenças que te permitem um relacionamento razoável, é notar SEUS bloqueios, SUAS faltas... não do outro.

Tenha o outro como seu espelho: ele reflete suas próprias dores...
Se ele não dá o que você espera, pergunte-se: “Quem em mim espera?”
“O que eu quero?”, “Por que escolhi essa pessoa para me ajudar a notar?” “Como eu posso me preencher?”

Ao culpar o outro, você perde uma grande oportunidade de examinar a si mesmo e o que te levou a atual posição, deixando de crescer.

Texto de: fernandaandreozi

quarta-feira, 29 de dezembro de 2021

Me curar de mim



Sou a maldade em crise
Tendo que reconhecer
As fraquezas de um lado
Que nem todo mundo vê
Fiz em mim uma faxina
E encontrei no meu umbigo
O meu próprio inimigo
Que adoece na rotina
Eu quero me curar de mim
Quero me curar de mim
Quero me curar de mim
O ser humano é esquisito
Armadilha de si mesmo
Fala de amor bonito
E aponta o erro alheio
Vim ao mundo em um só corpo
Esse de um metro e sessenta
Devo a ele estar atenta
Não posso mudar o outro
Eu quero me curar de mim
Quero me curar de mim
Quero me curar de mim
Vou pequena e pianinho
Fazer minhas orações
Eu me rendo da vaidade
Que destrói as relações
Pra me encher do que importa
Preciso me esvaziar
Minhas feras encarar
Me reconhecer hipócrita
Sou má, sou mentirosa
Vaidosa e invejosa
Sou mesquinha, grão de areia
Boba e preconceituosa
Sou carente, amostrada
Dou sorriso e sou corrupta
Malandra, fofoqueira
Moralista, interesseira
E dói, dói, dói me expor assim
Dói, dói, dói despir-se assim
Mas se eu não tiver coragem
Pra enfrentar os meus defeitos
De que forma, de que jeito
Eu vou me curar de mim
Se é que essa cura há de existir
Não sei, só sei que a busco em mim
Só sei que a busco
Me curar de mim
Me curar de mim
Me curar de mim
Me curar de mim
Fonte: Musixmatch
Compositores: Flaira Fernanda Cardoso Ferro

Ouça a música 
 

quinta-feira, 23 de dezembro de 2021

Ho´oponopono: uma abertura para a Vida



Quanto mais observo a vida e como me coloco nas situações, mais claro fica como as crenças nos prendem a uma rede de onde é difícil sair, se não fazemos alguma coisa para isso.
O tempo todo elas estão nos controlando ao filtrar a forma como percebemos a nossa realidade.

Seja o que for que nos aconteça, o que percebemos das situações é filtrado e classificado por nosso sistema de crenças que funciona silencioso fazendo com que experienciemos uma realidade que é pura ilusão... Assim, se eu estou em um ambiente com muitas pessoas, quase sempre, percebo aquelas pessoas com a classificação que minhas crenças dão a elas e nunca como elas são realmente. 

Geralmente se uma pessoa faz algo que meu filtro de crenças classifica de "bom" ou "ruim", automaticamente congelo aquela classificação que, passa, então, a fazer parte daquela pessoa, como um tipo de adendo... e assim vamos reagindo às pessoas e às situações que a vida nos apresenta sem nos dar a oportunidade de realmente perceber com neutralidade o que está à nossa frente. Esse filtro das nossas crenças é um tipo de óculos que sempre distorce a nossa realidade de acordo com a lente que está aflorada no momento e essas lentes são criadas por nossas experiências passadas, acumuladas ao longo do tempo. Se estamos com uma lente de medo mais aflorada, vamos reagir às pessoas e situações com desconfiança e com proteção exagerada... e assim por diante. Assumimos o peso das nossas crenças que vai pouco a pouco nos afundando em uma realidade falsa e cada vez mais limitada...

Quando passamos a nos observar e também nossas reações a pessoas e situações da vida, vamos ver que quase nunca estamos com um olhar neutro para elas... Nossa crenças tomam a frente e nos guiam como robôs a agir de acordo com sua ditadura...

Com nosso ego é muito difícil a gente conseguir sair dessa trama, porque ele faz parte dela e quer nos manter presos ali, usando artimanhas tão sutis que nos fazem pensar que estamos mesmo trabalhando para nos liberar... por isso uma das melhores coisas que já encontrei para nos tirar dessa ditadura das crenças é o Ho´oponopono.

Vejo no Ho´oponopono uma rendição do ego à nossa parte Divina e uma cooperação. O ego entrega porque reconhece que ele não tem condições de resolver o problema, mas a nossa parte Divina sim.

Ho´oponopono tem sido uma bênção e uma companhia indispensável no meu dia a dia desde que conheci e quanto mais praticamos, mais percebemos que as situações não têm mais só a cor que nossas crenças davam a elas... começamos a perceber com mais neutralidade as pessoas e situações e isso permite uma abertura maior para receber a vida. Já não somos mais reféns das nossas memórias equivocadas, como éramos antes... e entregar o controle à Divindade nos dá a certeza que estamos sendo guiados pela nossa parte que Sabe e que pode ver além da ilusão. Claro que é preciso persistência na prática, mas os resultados são surpreendentes...

Às vezes, esse tempo de adaptação à nossa nova forma de perceber a realidade é um pouco estranho, porque fomos tão acostumados a ser guiados pela ilusão que a neutralidade surgida quando nos livramos -um pouquinho que seja- do domínio das crenças, parece-nos um pouco simples demais. Às vezes, surpreendo-me como não estou reagindo a coisas a que antes reagia automaticamente e... me ver quieta e neutra diante daquilo, parece estranho porque é novo, mas dá uma paz e uma sensação de que estou mais presente, que não tem preço.

Sei que não é fácil se libertar de coisas que nos prenderam tanto tempo, mas o gostinho da liberdade nos faz querer ir adiante...  cada vez mais adiante para ver como é estar naquele lugar onde nosso Ser pulsa por inteiro…

Texto de:
Rubia A. Dantés 
Imagem Pinterest 

segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

A vida…



A vida decepciona-o para você parar de viver com ilusões e ver a realidade.

A vida vai destruir todo o supérfluo, até que reste somente o importante.

A vida não te deixa em paz, para que deixe de culpar-se e aceite tudo como "É".

A vida vai retirar o que você tem, até que você parar de reclamar e começar agradecer.

A vida envia pessoas conflitantes para te curar e para que você deixe de olhar pra fora e comece refletir o que você tem dentro.

A vida permite que você caia de novo e de novo, até que você decida aprender a lição.

A vida te tira do caminho e te apresenta encruzilhadas, até que você pare de querer controlar e você flua como um rio.

A vida coloca seus inimigos na estrada, até que você pare de "reagir".

A vida te assusta e assusta quantas vezes for necessário, até que você perca o medo e recupere sua fé.

A vida tira o seu amor verdadeiro, ele não concede ou permite, até que você pare de tentar comprá-lo.

A vida te distancia das pessoas que você ama, até entender que não somos esse corpo, mas a alma que ele contém.

A vida ri de você tantas vezes, até você parar de levar tudo tão a sério e rir de si mesmo.

A vida quebra você e quebra você em tantas partes quantas forem necessárias para a luz penetrar ali.

A vida repete a mesma mensagem, mesmo com gritos e tapas, até você finalmente ouvir.

A vida não te dá o que você quer, mas o que você precisa para evoluir.

A vida te acorda, te poda, te quebra, te desaponta, até que só o AMOR permaneça em ti".

Bert Hellinger
Imagem: Pinterest 

segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

O significado emocional dos vícios…



Os vícios estão relacionados ao núcleo familiar, à superproteção materna e à ausência do pai.  Ambos os casos por falta de amor incondicional.  Todo vício busca evitar o contato com a emoção, pode ser uma sensação de vazio existencial, falta de amor, sentimento de solidão, desconexão com o nosso eu superior.

Se analisarmos etimologicamente, a palavra VÍCIO significa "não dito".  Aquilo que não posso ou não quero expressar.

Cocaína: Está relacionado a administrar o ódio ao pai, a expressar o que não me atrevo a expressar, já que a cocaína me desinibe.  Ilusão de um grande despertar que facilita o relacionamento com os outros.  Quero recuperar minha pureza ou o que não consigo mais gerar, como a admiração dos outros.

Maconha: Está relacionado administrar a separação de um casal e minha identidade ou posição diante dessa separação.  Pessoa que está se procurando, que não sabe o que veio fazer no planeta.  Conflito de identidade.

Alcoolismo: Está relacionado ao desejo de fugir das responsabilidades físicas ou emocionais por medo de ser magoado.  (conflito com a mãe).
Tabaco: O tabaco está relacionado aos conflitos da mãe, que vive uma situação de profunda solidão.  Falta de comunicação com a mãe ou excesso de proteção excessiva.  Falta de liberdade e independência.

Excesso de comida: Tentar satisfazer sua fome de amor com comida.  Quanto mais você come, maior é a sua fome.  Comer para tentar superar experiências passadas ou não assimiladas.

Chocolate: a necessidade do amor e da doçura do papai.  Conflitos com a ausência, falta de amor ou desvalorização do pai.

Açúcar: Necessidade de adoçar a vida, compensando o sentimento de falta de amor, ternura e alegria na pessoa.

Vício em sexo: Tentar preencher com o físico, o espiritual, pensando que fazer sexo é ter amor.

Vício no Trabalho: Viver com muito apego e medo, para não sofrer com a carência.  Acredite que deve ser mostrado que minha vida é produtiva e que os outros reconhecem que valho alguma coisa.

Vício em exercícios: dificuldade em se aceitar.  Dependência de seu estado físico (externo) para preencher o vazio (interno) de insegurança em seu próprio ser.

Quando se sabe a origem, o caminho para tratar fica mais fácil. 

Via: Anaumy Mazzottini


sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Seja Oceânico…



“Viva como um oceano.
Seja oceânico!
Nunca pense em perdas com relação a nada. Nada se perde, nada pode ser perdido.
E você não é individual, apenas parece ser. O Todo está unido a você e você é só uma face do Todo, é o modo como o Todo aconteceu.
Não se preocupe, porque o Todo não acaba nunca. A existência não tem começo nem fim.
Alegre-se, celebre, seja ativo! O Todo está se realizando em você...

Osho
Imagem: Pinterest 

terça-feira, 30 de novembro de 2021

O que realmente está acontecendo com você?



"Quando ainda era acadêmica, ouvi de um professor algo que nunca esqueci: "quando tudo dói a dor não é física"... 
Talvez eu não tenha dimensionado naquele instante a grandeza desse diálogo. 
Hoje geriatra, vivenciando diariamente a rotina dos meus pacientes, vejo o quanto esse olhar me abriu para compreender cada um que chega com dores por todo corpo; muitas vezes não sabendo nem por onde começar ou sequer explicar como acontece. Ouço com atenção às queixas de dores de cabeça, no estômago, musculares, ósseas, palpitações, náuseas, coceiras...
Depois faço apenas uma pergunta " o que está realmente acontecendo com você? " 
Após um minuto de hesitação e até espanto, a maioria cai num choro convulso e doloroso. Deixo o choro libertador acontecer e então, no lugar das queixas álgicas ouço término de relações, perdas de pessoas queridas, problemas financeiros, medos, angústias e ansiedades... Novamente lembro - me da frase... "quando tudo dói a dor não é fisica"... Não é! A dor é na alma... 
Tudo que nos faz mal e guardamos, por um mecanismo de defesa, vai sair de alguma forma... muitas vezes em forma de doença! 
É nosso corpo físico gritando pelo resgate da nossa alma... 
É nosso corpo nos confrontando com nosso eu... 
É nosso corpo nos mostrando o que não vai bem... 
É nosso corpo dizendo "olhe pra você"
Às vezes é difícil compreender e até acreditar nisso. Normal! Estamos tão mentais, tão obcecados pela objetividade que só mesmo adoecendo, doendo, machucando é que paramos para valorizar nossas sensações e nos perceber...
Ninguém gosta de sentir dor, ninguém quer adoecer, todo mundo teme se machucar... 
Alertas! 
Quantos alertas nosso corpo precisa nos enviar para olharmos pra ele, de verdade!
Sejamos mais atentos, gentis e cuidadosos com nosso corpo... 
Sejamos mais atentos, generosos e amorosos com nossa alma...
Toda dor é real...
Toda dor é tratável. ..
Todo corpo deve ser templo...
Toda alma deve ser leve..."

Texto de Roberta França 
Medica Geriátrica
Imagem: Pinterest 

segunda-feira, 29 de novembro de 2021

As pessoas que atraímos refletem de alguma forma as crenças que temos sobre nós mesmos…



As pessoas que atraímos refletem de alguma forma as crenças que temos sobre nós mesmos. Muitas vezes, o famoso "dedo podre" para o amor significa que estamos atraindo as pessoas que vão nos fazer olhar para as partes que ainda precisam ser curadas dentro de nós. Ou seja, atraímos fora o que precisamos curar dentro. Mas como assim? Então quer dizer que os jogos emocionais do meu companheiro estão em mim também? Calma! Não é bem por aí. Os atraídos muitas vezes vibram no polo oposto da mesma questão

Uma baixa autoestima pode ser um ímã poderoso, para uma relação abusiva. Há uma ferida oculta na sombra que você não consegue encarar. Pessoas controladoras são atraídas como mariposas para a luz, por pessoas submissas e dependentes, pois dividem o mesmo emaranhado emocional disfuncional. Se eu estou me relacionando com pessoas que não me valorizam ou que me criticam o tempo inteiro, muito provavelmente eu tenho questões de autoestima para serem resolvidas dentro de mim. Perceba que é a mesma questão em polaridades opostas: O controlador atrai o dependente. O agressivo atrai o submisso. O desconfiado atrai o mentiroso. O egoísta atrai o orgulhoso. A vítima atrai o culpado. Esse "match" acontece porque na maioria das vezes a sua parte ferida que escolhe seus amores. Você se relaciona com pessoas que vão revelar o programa inconsciente que você precisa curar em você (Rana Vitória).

 E se você não enxerga o seu reflexo no espelho que o outro é, quer dizer que você não está olhando para si (Raoni Duarte). Pare e pense: se você permite relacionamentos desequilibrados significa que alguma coisa não vai bem aí dentro de você. Então se você quer mudar a qualidade de pessoas que atrai, é necessário curar em você o aspecto que ainda vibra baixo. 

Quanto mais curados mais pessoas curadas vamos atrair (Rana Vitória). 

NÃO CABE A VOCÊ CURAR PESSOAS TÓXICAS. CABE A VOCÊ CURAR A SUAS PARTES QUE TÊM RESSONÂNCIA COM A TOXICIDADE DELAS (A. Desc). 

Texto de @ranavitoria @xamanicos
Imagem:Pinterest 

sábado, 13 de novembro de 2021

Sons do Silêncio…



Um rei mandou seu filho estudar no templo de um grande Mestre, com o objetivo de prepará-lo para ser uma grande pessoa. 

Quando o príncipe chegou ao templo, o Mestre o mandou sozinho para uma floresta. Ele deveria voltar um ano depois, com a tarefa de descrever todos os sons da floresta. Quando o príncipe retornou ao templo, após um ano, o Mestre lhe pediu para descrever todos os sons que conseguira ouvir. Então disse o príncipe:

– Mestre, pude ouvir o canto dos pássaros, o barulho das folhas, o alvoroço dos beija-flores, a brisa batendo na grama, o zumbido das abelhas, o barulho do vento cortando os céus…

E ao terminar o seu relato, o Mestre pediu que o príncipe retornasse à floresta, para ouvir tudo o mais que fosse possível. Apesar de intrigado, o príncipe obedeceu à ordem do Mestre, pensando:

– Não entendo, eu já distingui todos os sons da floresta…

Por dias e noites ficou sozinho ouvindo, ouvindo, ouvindo… Mas não conseguiu distinguir nada de novo além daquilo que havia dito ao Mestre. Porém, certa manhã, começou a distinguir sons vagos, diferentes de tudo o que ouvira antes. E quanto mais prestava atenção, mais claros os sons se tornavam. Uma sensação de encantamento tomou conta do rapaz. Pensou:

--Esses devem ser os sons que o Mestre queria que eu ouvisse…

E sem pressa, ficou ali ouvindo e ouvindo, pacientemente. Queria Ter certeza de que estava no caminho certo. Quando retornou ao templo, o Mestre lhe perguntou o que mais conseguira ouvir.

Paciente e respeitosamente, o príncipe disse:

– Mestre, quando prestei atenção, pude ouvir o inaudível som das flores se abrindo, o som do sol nascendo e aquecendo a terra e da grama bebendo o orvalho da noite…

O Mestre sorrindo, acenou com a cabeça em sinal de aprovação, e disse:

- Ouvir o inaudível é ter a calma necessária para se tornar uma grande pessoa. 

 Apenas quando se aprende a ouvir o coração das pessoas, seus sentimentos mudos, seus medos não confessados e suas queixas silenciosas, uma pessoa pode inspirar confiança ao seu redor, entender o que está errado e atender às reais necessidades de cada um.”

Imagem: Pinterest